Sem categoria

A história se repete, a primeira vez como farsa e a segunda como tragédia

Em 2007 quando apareceu para a política de Juazeiro, Isaac Carvalho surge como um ilustre desconhecido, desprestigiado, aventureiro, empresário medíocre, por isso muitos não acreditaram que ele chegaria lá, mas ele chegou e como chegou. Filiou-se ao PC do B, numa articulação nebulosa, que tem como coincidência a prisão do traficante colombiano Gustavo Duran Bautista e com a intervenção/nomeação de interventores na fazenda Mariad, que na ocasião estava em plena colheita da safra de uva Juntos derrotaram todos os grupos políticos tradicionais de Juazeiro: Roberto Carlos, Joseph Bandeira, Misael/Jorge khoury. O principal discurso foi o da mudança, e colou bem esse discurso, pois o povo estava saturado e cansado do Ba-Vi. Mas teve muito dinheiro em jogo, como empresário Isaac Carvalho apostou alto no negócio/comércio da candidatura.

O improvável aconteceu, Isaac Carvalho foi eleito prefeito de Juazeiro. Anos de ouro, governo federal e estadual a favor, grupos de parlamentares dando apoio, ficou fácil para o estreante governar. Não precisava de nada, todas as políticas sociais, educacionais e de mobilidade urbana funcionando em pleno vapor. Veio o afastamento da presidente Dilma Rousseff, as coisas começam a degringolar. Governo municipal acostumado com dinheiro federal em abundância, começa a enfrentar dificuldades com obras, pagamento a fornecedores e com folha de pessoal. Sabe aqueles grupos tradicionais que ele derrotou representando a mudança? Coisa do passado, primeiro se aproximou de Roberto Carlos, que está dentro e colado no governo, ano passado articulou para que as contas de Misael Aguilar fossem aprovadas na Câmara de Vereadores, esse ano ensaiou aproximação com Joseph Bandeira facilitando para que o principal aliado de Joseph, o suplente de vereador Josafá Mota assumisse uma vaga na Câmara de Vereadores. Já tinha se aproximado de Jorge Khoury através de conversas com ACM Neto e Bruno Reis (prefeito e vice-prefeito de Salvador, ambos do DEM), e agora a pá de cal, a nomeação de Osanah Setúval, o principal nome de Geddel Vieira (preso em Brasília, ou o homem dos 52 milhões).

As forças retrógradas que governaram por anos e foram responsáveis pelo atrasado de Juazeiro (segundo Isaac Carvalho) agora se juntam a outra força retrógrada para juntas destruírem Juazeiro.

Enio Costa Subtenente BM e Educador

2 Replies to “A história se repete, a primeira vez como farsa e a segunda como tragédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *