JUAZEIRO SOCIAL

Coelba: Cachorro não pode mijar no poste que falta energia?

Seja pela cobrança abusiva de tarifas ou por serviço mal prestado, o que não faltam à COELBA –  Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia são reclamações.

As reclamações são frequentes interrupções no fornecimento de energia, danos a equipamentos elétricos causados por picos e quedas repentinos de energia que não estão sendo indenizados, cobrança de faturas com valores abusivos mesmo em locais onde houve interrupção do serviço, falta de atendimento remoto às reclamações dos usuários e desrespeito à concessão de tarifa social para os consumidores carentes.

Cadê a luz que estava aqui? – Essa é a pergunta que muita gente se faz quando chove. Todo juazeirense já sabe que vai ter que acender velas – e não é para nenhum santo, tampouco para um jantar a dois.

Ameaçou a chover e dá o primeiro estrondo no poste, os moradores já sabemos que é um aviso. Vai faltar energia. O fornecimento de energia é serviço público essencial, de modo que a sua interrupção implica em afronta ao princípio da dignidade da pessoa humana.

A Coelba é aliada das muriçocas, e juntas decidiram infernizar a vida dos juazeirenses.

Imagina no verão temperatura altíssima, janelas fechadas por conta das muriçocas, de repente começar a ter quedas de energia, não demora para haver interrupção definitiva. Acabou a noite do trabalhador, ele passará a noite espantando as muriçocas e se abanando com um pedaço de pano, porque não poderá ligar nem um ventiladozinho sequer.

Código de Defesa do Consumidor estabelece que a energia elétrica como bem essencial à vida humana, deve ter fornecimento adequado e contínuo (arts. 6º, inciso X, e 22), e garante a efetiva reparação pelos danos causados (art. 6º, inciso VI). O brasileiro paga uma das tarifas de eletricidade mais caras do mundo, mas a qualidade do serviço prestado não resiste a mau tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *