BAHIA POLÍTICA

Presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus é preso por corrupção

O vereador afastado e ex-presidente da Câmara Lukas Paiva (PSB), de Ilhéus, se apresentou à Justiça nesta segunda-feira (2), em Salvador. O edil teve prisão preventiva decretada em 19 de dezembro de 2019, mas se manteve foragido até esta tarde.

Acusado de crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro, o vereador se entregou espontaneamente, ao lado do advogado Thales Habib.

Paiva chegou a ser preso no dia 29 de maio de 2019 (veja aqui), porém o ex-presidente do legislativo ilheense obteve liberdade via habeas corpus cinco dias depois.

Entenda o caso

Uma operação do Ministério Público do Estado (MP-BA) e da Polícia Federal (PF) cumpre na manhã desta quarta-feira (15) 7 mandados de prisão e 10 de busca e apreensão em Ilhéus, no litoral sul baiano. A ação foi desencadeada para reprimir crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro. Os supostos crimes teriam ocorrido entre 2011 e 2018, no âmbito da Câmara de Vereadores de Ilhéus.

Entre os presos, agentes políticos e empresários envolvidos em organizações criminosas “instaladas na Câmara de Vereadores de Ilhéus.” Denominada de Operação Xavier, a ação é uma continuação da Operação Citrus, que revelou esquema de corrupção na Câmara de Ilhéus (lembre aqui). Além da Polícia Federal, participam da ação o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) e a 8ª Promotoria de Justiça de Ilhéus.

Ainda segundo o MP-BA, a apuração ocorre há dois anos. Colaboraram com a operação a Coordenação de Computação Forense do Departamento de Perícia Técnica do Estado da Bahia, a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, a Receita Federal em Itabuna e Ilhéus, o Banco do Brasil, o Tribunal de Contas dos Municípios, a Central de Apoio Técnico do MP, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), a Junta Comercial do Estado da Bahia (Juceb), entre outros órgãos.

Deixe uma resposta