JUAZEIRO

Juazeiro: Bateu o desespero? Paulo Bomfim cumpre agenda com católicos e evangélicos nessa terça-feira (08)

Embora muito simpatizantes da candidatura do prefeito Paulo Bomfim (PT) não sejam simpatizantes dos evangélicos, principalmente dos neopentecostais, mas o governo desde o seu início oscila entre os evangélicos e os povos de terreiros, dois grupos religiosos que não se comunicam bem.

Com a presença dominante no governo, os pastores ditos evangélicos, organizaram sob os arrepios do artigo 19 da Constituição, ” A quarta-feira de oração no gabinete do prefeito”.

O prefeito é passivo de perda do cargo, pois assim reza a Constituição: “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público”.

A relação do governo com os Povos de Terreiro, é meramente para se aproximar dos movimentos sociais, durante esses últimos 12 anos não existe nenhuma política pública voltada para os Terreiros em Juazeiro, muito pelo contrário, acirram-se as agressões e a exclusão social.

Agora no final da gestão, e as vésperas das eleições o governo volta a se aproximar dos católicos, e reafirmar o seu compromisso majoritário com os evangélicos.

Hoje, comemora-se o fim do Novenário a Nossa Senhora das Grotas, a padroeira de Juazeiro, e nesta mesma data, o prefeito marcou compromissos políticos com  católicos e evangélicos. O que dirás aos católicos e aos evangélicos? Aos católicos dirá que Nossa Senhora é a nossa padroeira? E aos evangélicos dirá que não devemos adorar imagens? Ou mentirás para os dois, como faz com os Povos de Terreiros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *