JUAZEIRO POLÍTICA

Túnel do tempo: Promotores de Juazeiro unidos contra delegado Charles Leão

Em matéria publicada em

Rildo Mendes, Ana Letícia Moraes Sardinha, Márcio Henrique Pereira de Oliveira e Mayumi Menezes Kwabe, promotores na Comarca de Juazeiro, protagonizam mais um capítulo da longa novela de atritos e diferenças entre Polícia Civil, PM e Poder Judiciário.

Datado de 30 de novembro de 2009, mas só agora em vias de ser apreciado pelo juiz de direito da Vara da Fazenda Pública, a ação dos promotores tem pedido de liminar para afastamento dos cargos do Delegado Regional e de seis policiais civis que lhe são subordinados.

A peça processual ressuscita a denúncia formulada pelo advogado Luiz Raimundo do Nascimento Cunha de invasão da Chácara São Geraldo, residência de Marcelo Viana Rocha e da subseqüente tortura de Severino Claudio dos Santos e outros. Ressalva que o delegado Charles Leão, ainda que não tenha participado efetivamente das torturas, a “ tudo assistia friamente, consentindo e aceitando todos os atos cruéis”.

Ao final pede o “imediato afastamento do cargo de delegado de polícia civil, o Sr. Charles Antonio Leão Gomes e dos agentes policiais”, diante da “potencialidade extremamente danosa dos atos aqui narrados”.
Como está se tornando norma, quando a confusão é entre polícia e poder judiciário, o caso foi parar nas emissoras de rádio e durante a semana diversas pessoas opinaram sobre a ação, inclusive o Delegado ameaçado de afastamento.

Leão disse que não tinha conhecimento do processo e se defendeu atirando: “Não sei por que essa preocupação comigo. Não puxo arma para motoqueiro, não mando soltar bicheiro”, disse em entrevista.

Para o Delegado o empenho do promotor, a “perseguição” tem motivos pessoais e “meia dúzia de pessoas estão atrapalhando 200 mil cidadãos que não moram em condomínios fechados e dependem da atuação firme da polícia no combate à criminalidade”, provocou.

Com informações e foto de Manoel Leão
Fonte: Blog Carlos Britto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *