JUAZEIRO

JUAZEIRO: MORRE SEU VALDEMAR DO LEITE

Todas as manhãs logo cedo as mulheres saiam a porta para esperar o Seu Valdemar do Leite chegar, as crianças também ficavam fascinadas com as histórias e a simpatia do “velho do leite”. O horário da entrega era pontual, igual ao relinchar do jegue.

Com jeito simples, Seu Valdemar do Leite cativava as todos. Entregava leite a toda as classes sociais, da lavadeira do Angari ao doutor da Rua XV de Novembro, não tinha quem não se encantasse e comprasse. E assim ia fazendo freguesia, parecia que não fazia da venda do leite um comércio, porque se alguém não tivesse como pagar, também não deixa de levar o líquido nutritivo que fez parte da mesa das famílias juazeirenses.

Valdemar Martins Félix, tinha 81 anos (completou no dia 06/07), até os 76 anos trabalhou na entrega do leite, morador do Sitio Alto das Pedras, foi casado durante 55 anos com a dona Maria Madalena dos Anjos Felix e tinha 08 filhos.

Seu Valdemar começou a vender leite aos 13 anos de idade, herdou a profissão do pai, o mesmo pai que ele não alcançou vendendo leite. Acordava de madrugada para ordenhar a vacas e tirar o leite, e com todo cuidado coava e despejava nos galões dispostos na velha bicicleta Mornak, para depois seguir pedalando cerca de 20 km por dia.

“Toda vida a gente tomou leite e não morremos. Esse leite de caixa de supermercado tudo é cheio de problemas, o leite fica 90 dias numa prateleira, isso é leite?”

E assim foram mais de 62 anos fazendo o percurso do projeto Mandacaru I até Juazeiro, voltando a boquinha da noite, para mais uma lida com a vacas, dessa vez as trazendo para o curral, para no dia seguinte fazer o recomeço da jornada. Essa rotina de domingo a domingo em baixo de sol ou de chuva. Com a morte de Seu Valdemar vai a história dos entregadores de leite pelas ruas de Juazeiro.

Seu Valdemar morreu ontem (13/09) vítima de afogamento no canal do Projeto Mandacaru.

Vídeo com a história de Seu Valdemar:

13 Replies to “JUAZEIRO: MORRE SEU VALDEMAR DO LEITE

  1. Esse guerreiro fez parte da minha infância nós chamava de tio gomar quando ele chegava na porta da minha casa minha mãe dizia tio Valdemar chegou nós só chamava tio gomar dava a benca pra ele nós não tinha parentesco sanguíneo mais o carinho que nos tinha por ele e ele por nós e um valor que ninguém vai tirar de nós eu mais minha irmã mais nova ficava esperando a sexta feira pra ele levar nós pra roça dele nós estamos triste com a perda de guerreiro vai com Deus morada feliz .chegou sua hora o pai celestial te chamou

  2. Minha mãe comprou muito leite com o senhor… que nos ajudou na nossa alimentacao com esse liquido nutritivo e natural…Valeu, Seu Valdemar! Que Deus te coloque em lugar de luz e conforte a sua família!

  3. Muito triste. Homem bom . Por muita vezes fui a Juazeiro em sua caminhonete (na época único carro de linha entre a Ilha Grande e juazeiro). Ele dizia “Jairzinho” não paga. Na epoca crianca, hoje aos 45 anos fico triste com sua morte, Meus pêsames aos eeus familiares

  4. Realmente um grande homem, mas com uma historia acarretada de tragédias.

    Acredito muito em cargas trazidas de outras vidas. Sem falar que ele morava no local onde o filho assassinou cruelmente e friamente uma moça.

    Muito pesado tudo isto, que Deus o coloque em um bom lugar e que a família tenha paz.

  5. Tania
    Conheço ele desde quando eu ainda era criança hoje estou com 55 anos, viajei muito na camioneta dele que na época só tinha o carro dele que fazia linha para Juazeiro.
    Meus sentimentos a todos os familiares e que ele descanse em paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *