PETROLINA

Petrolina: vereador faz acusações duras contra a polícia militar: “Colocam até maconha nos carros de pessoas de bem”

Ter uma pessoa da família alvejada por disparos de arma de fogo pode gerar traumas profundos, ainda mais se o acusado de cometer o crime for integrante de uma força policial. Em apoio ao vereador Gilmar Santos, que no final de semana chegou a ser detido após contestar a forma de abordagem de uma equipe do 2º Biesp, o vereador José Batista da Gama fez um desabafo contundente durante a sessão desta terça-feira (27), na Câmara Municipal. O parlamentar relembrou o episódio em que seu irmão foi alvejado por disparos de arma de fogo sem direito a defesa e apontando má conduta de um capitão da Polícia Militar.

“Quem se lembra do Major Evandro aqui dentro de Petrolina, comandante do Batalhão? Tinha um pilantra, um energúmeno, um mau caráter de um capitão que na época atirou em meu irmão Benedito, ali no antigo Bodódromo, quase que mata meu irmão. Meu irmão simplesmente indefeso, assim na mesa. O filho… O pilantra, covarde, energúmeno do capitão atirou nele, sem nada, sem discussão nenhuma, Benedito não foi de mexer nem com uma mosca. Resultado: cai em campo, formei uma comissão aqui e fomos bater no gabinete do governador Miguel Arraes. Com 72 horas aquele infeliz foi embora de Petrolina e o major Evandro também foi. Pagou por isso, sabe por quê? Por que a polícia é corporativista”, relembrou.

Esse corporativismo foi citado como um fator negativo por Batista. “Eles colocam até maconha e cocaína e crack nos carros de pessoas de bem para incriminar as pessoas. Até isso eles fazem. É claro que não são todos, é uma parte deles, é uma banda podre da polícia”, elencou.

Afirmando votar contra a moção de solidariedade proposta por Elias Jardim ao 2º Biesp, o parlamentar embasou a escolha. “Aí eu vou me solidarizar com o Biesp daqui, por quê? Eu respeito, defendo a polícia, mas os bons que estão lá, o lado bom que tem lá. Eu tenho um irmão de maçonaria que é capitão, que é coronel, que é sargento, que são homens de bem. Mas lá dentro tem mau caráter. Não existe má ação se não tiver uma reação, não existe reação se não tiver uma má ação e vice e versa.

Se ele [policial do Biesp] foi agredido é porque ele agrediu alguém, é porque ele não soube admoestar a pessoa na hora certa. Não tem esse negócio de passar a mão pela cabeça de ninguém não. Digo isso de fronte erguida porque não tenho medo, porque não tenho o rabo preso aqui de ninguém aqui não”.

Destacando o espírito de união que deve existir entre os vereadores, Zé Batista afirmou que sempre estará na defesa da casa. “Todas e qualquer hora que acontecer com qualquer vereador, pode ser do PCdoB, pode ser do PMDB, pode ser do PT, pode ser o mais radical possível, eu estou do lado dele. Por que ele é uma autoridade constituída. Está lá para defender a população e Gilmar fez como eu também faria porque não é brincadeira. (…) Voto a favor da moção de solidariedade ao vereador e voto contra a de solidariedade ao 2º Biesp”, finalizou.

Fonte: Blog Nossa Voz

One Reply to “Petrolina: vereador faz acusações duras contra a polícia militar: “Colocam até maconha nos carros de pessoas de bem”

  1. O senhor Vereador é demagogo, fala do lado podre que há dentro da Polícia, mas fala que estará sempre ao lado de qualquer vereador, independente de qualquer coisa.
    Realmente, por tempo determinado, vereadores são autoridades constituídas pelo povo, entretanto, dentro do meio legislativo e executivo, existe a maior classe de bandidos dentro do país. Muitos de vocês estão roubando o povo há anos, tirando a qualidade de vida da sociedade enquanto os seus bolsos estão se enchendo de dinheiro que se tornou sujo ao passar pelas vielas da corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *