BRASIL

Apoio ao PL 535/19 que veda uso e comércio de agrotóxicos que causam mortandade de abelhas

A aprovação do PL 535/19 que passará pela apreciação e votação da Assembleia Legislativa do Ceará, proíbe o uso e a comercialização de agrotóxicos no Ceará, fabricados com base em três tipos de neoticotinóides. São eles o Imidracloprido, Clotianidina e o Tiametoxam. Esses produtos, usados em diversas culturas como a de algodão, milho, soja, arroz e batata, entre outras, são responsáveis pela morte massiva de abelhas no semiárido brasileiro, América Latina, e outros locais do mundo. A diferença para outros venenos é que têm a capacidade de se espalhar por todas a s partes da planta. Por isso quando colocado na semente, acaba estando presentes como vestígios em flores, ramos, raízes, néctar e polén.

O objetivo do projeto é proteger as abelhas e nossa biodiversidade, garantido sua polinização, porque sem abelhas, não teremos alimentos. Com a mortandade em massa das colmeias em 2019, nosso país está diante de um enorme risco para a biodiversidade trazido pelo uso de agrotóxicos. As abelhas são fundamentais não apenas para a produção de mel, mas para a polinização das plantas e, consequentemente para a produção de alimentos. Em três meses, mais de 500 milhões de abelhas foram encontradas mortas por apicultores apenas em quatro estados brasileiros.

A iniciativa é ainda fundamental para apicultores, pois com a aprovação do PL, estaríamos protegendo e assegurando que a produção de mel no Ceará estivesse livre dessas substâncias, fazendo com que o mel produzido no Ceará, estivesse alinhado com as normativas que proíbem essas substâncias em países consumidores como os Estados Unidos e países da Europa, além de proporcionar um alimento seguro à população brasileira.

Fonte: Avaaz.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *