JUAZEIRO

RADIALISTA E JORNALISTA ERRY JUSTO SE DIZ INJUSTIÇADO PELA SEMAURB

O radialista, como sempre faz nas suas horas vagas, realiza trabalhos de locução em diversas empresas da região, é uma forma de ganhar seu pão de cada dia de maneira honesta, sem pedir favores a politico nenhum, sem mendigar na porta da prefeitura por um espaço de trabalho.

Pois bem, desde a semana passada Erry Justo firmou um contrato diário com apenas 02 horas, em  uma tradicional papelaria que funciona no calçadão  da antiga rua Conselheiro Saraiva,  trabalhou sossegadamente por 4 dias, de repente, numa quinta–feira (13), cinco agentes da SEMAURB adentraram a papelaria, sem mandato, abordaram o jornalista dizendo que ele não poderia fazer locução, pois o tipo de caixa de som e o local onde ele estava usando eram proibidos pelo código de postura do município, e que ele parrasse e recolhesse os equipamentos sob pena de serem apreendidos, diga-se de passagem, a caixa estava localizada a 1 metro da rua e dentro da papelaria, não estava na calçada e sequer em espaço público.

Erry Justo prontamente atendeu ao pedido dos agentes de fiscalização e se dirigiu á sede da Semaurb para obter mais informações, o que foi confirmado por um preposto de que ele de fato não poderia fazer locuções no local.

O que mais deixou indignado ao Jornalista e Radialista, é que em lojas vizinhas à papelaria e ao longo de toda a extensão do calçadão, o que mais se vê são lojas usando caixas de som para anunciar seu produtos, inclusive algumas lojas com som muito alto, conforme fotos que foram tiradas pelo radialista para comprovar .

Equipamento de som no meio da calçada  na Rua da 28 de setembro pode!!

Mas o pior está por vir , não satisfeitos por impedir  do radialista exercer o seu direito de trabalhar honestamente, para surpresa dele, hoje,  segunda-feira (17),  quando esteve na papelaria para recolher os equipamentos e levar para casa o mesmo se deparou com 02 Guardas municipais , fortemente armados, prostrados bem em frente à referida papelaria que Erry justo estava trabalhando.

Segundo funcionários da papelaria, nunca esses Guardas estiveram posicionados ali , o que lhe causou  estranheza , constrangimento intimidatório ao radialista e a loja .

Os questionamentos que faz o Jornalista e radialista Erry Justo são:

I – Porque somente ele foi impedido de fazer seu trabalho de locução na papelaria, já que as demais lojas continuaram e sequer foram abordadas?

II – Por que os agentes de fiscalização não portavam os equipamentos de medição de ruídos , chamados Decibelímetros , já que o assunto era perturbação por equipamento sonoro ?

III – Será que é porque o radialista tem um programa de grande audiência e que denuncia as mazelas da atual gestão municipal  e estaria o mesmo sendo perseguido ?

Essas respostas precisam ser dadas, pois a sociedade juazeirense necessita  ter a certeza de que o município não se encontra sob a égide de uma gestão perseguidora daqueles que não dizem amém para o prefeito .

Por fim, o radialista diz :  “convido aos mesmos fiscais e o chefe da Semaurb para dar uma passeio comigo pelas ruas do centro da cidade,  para que vejam in loco quantas lojas utilizam caixas de sons em volumes altíssimos” 

2 Replies to “RADIALISTA E JORNALISTA ERRY JUSTO SE DIZ INJUSTIÇADO PELA SEMAURB

  1. Abuso, intimidação, ameaça… onde vamos chegar? Até onde os algozes pensam que podem ir sem freios e contrapesos? Será que os qbsurdos só vão acabar quando o pior acontecer? Esperamos que nenhum terrorista invada as casas dos podres, digo, poderes e mande eles para onde muita gente pensa. Que a Justiça se faça presente… urgentemente!

Deixe uma resposta