JUAZEIRO

Juazeiro: Caso Adalberto Gonzaga. Relato de um inocente

O jovem David Roger viu a sua vida mudar em setembro de 2019, quando o Ministério Público Estadual da Bahia, o denunciou juntamente com o Diretor do SAAE, Joaquim Neto. E logo mais adiante o juiz aceitou a denuncia os tornando réus no processo sobre a morte do ex-servidor da prefeitura de Juazeiro, Adalberto Gonzaga.

No dia 23 fez três anos da morte de Adalberto Gonzaga, David Roger aproveitou o momento para publicar uma carta pedindo justiça, mas que ela seja para os verdadeiros culpados.

Confira a carta:

RELATO DE UM INOCENTE, QUE PEDE JUSTIÇA PARA OS MATADORES, MAS QUE SEJA PARA OS VERDADEIROS ASSASSINOS

O indiciado por envolvimento no crime de homicídio de Adalberto Gonzaga, David Roger Paixão Reis, afirma que as acusações que pesam em seu desfavor baseiam-se em comentários falaciosos que desnortearam o Ministério Público na condução do caso.
A missão policial sobre os agentes do crime, concluiu que um total de sete pessoas, entre os mandantes e executores, participaram do referido crime, sendo que nenhum deles é o acusado. Apesar disso, a denúncia acusou outras pessoas, alheias à situação, o que aparenta, a princípio, desmerecer a missão policial empreendida.
Reitere-se que as descrições do executor dada pela própria testemunha ocular, divergem antagonicamente ao tipo físico do acusado, fato este devidamente denotado na folha 239 do processo criminal. Tal fato demonstra que a denúncia não se baseia nas evidências robustas advindas do brilhante trabalho policial, mas, se respalda em boatos maledicentes.

Ainda, esclareceu David: “As autoridades estão sendo induzidas a erros que não se sustentarão. A testemunha é clara em descrever o assassino e a descrição relatada em nada se parece comigo. Tenho certeza da minha inocência e sei que tudo vai se esclarecer.

Assina a nota : DAVID ROGER.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *