JUAZEIRO SAÚDE

Juazeiro: Com os Ecopontos o SAAE oficializa os lixões a céu aberto na cidade

A prefeitura de Juazeiro através do SAAE lançou semana passada os Ecopontos, segundo o vídeo divulgado pelo prefeito Paulo Bomfim (PT), o local será utilizado para depósito de restos de materiais de construção e de podas de árvores, no total serão dez ecopontos instalados na cidade. 

Nas grandes cidades já existem esses locais destinados especificamente para restos de materiais de construção, podas de árvores e outros materiais recicláveis em até um 1m3. Eles normalmente têm horários de funcionamento e vigilância, os locais são pavimentados para não haver  infiltração no solo, alguns tem contentores e caçambas para materiais específicos: vidro, papel, plástico e metal. 

Dessa forma, os Ecopontos fortalecem a política de gestão da limpeza urbana e contribuem para o aumento da vida útil dos aterros sanitários e para a diminuição da demanda por recursos naturais, recuperando o meio ambiente, a paisagem urbana, evitando danos à saúde pública e ainda gerando emprego e renda por meio da inclusão social das cooperativas de catadores. 

Os ecopontos geralmente é a parte final de um processo de educação ambiental, que compreende o descarte adequado do lixo e de materiais inservíveis, da coleta seletiva, do funcionamento regular da coleta de lixo nas residências e de uma ampla campanha com toda sociedade. 

Mas Juazeiro, o SAAE quer legitimar os lixões a céu aberto que tomam conta de toda cidade. Ao instalar os ecopontos, o cidadão agora sem constrangimento algum vai jogar qualquer lixo nesses espaços, basta o sofá ficar velho ou ele trocar o vaso sanitário. 

Estão previstos 10 espaços de descartes, sendo três já em fase de construção nos bairros Santo Antônio, Angari e Alto do Cruzeiro. Mas não há previsão do município cortar os contratos das caçambas a tratores alugados que vez por outra limpam os lixões a céu aberto espalhados pela cidade. 

A cidade é tomada por um cheiro insuportável de esgoto e lixo apodrecido, que infestam as casas de muriçocas, ratos, baratas e moscas. Um problema que se arrasta há anos sem as gestões encontrarem uma solução plausível. Agora faltando menos de 8 meses para o fim da gestão, O SAAE aparece com essa solução mágica para resolver um problema que é de educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *