JUAZEIRO POLÍTICA

Prefeitura de Juazeiro contrata empresa especializada em licitações por R$ 48 mil, no apagar das luzes

No apagar das luzes, Prefeitura de Juazeiro contrata empresa especializada em licitações por R$ 48 mil
O que leva um prefeito no final de gestão abrir uma dispensa licitatória para contratar uma empresa técnica em licitações e contratos?
A população de Juazeiro, no Norte da Bahia, cansou do descaso, do abandono, da ingerência do erário público. Enquanto a cidade morre à mingua, sem saúde, sem infraestrutura, sem história, sem saneamento, o prefeito, Paulo Bonfim (PT), subestima a população que o elegeu há quase quatro anos, e mantém seu grupo político no poder há quase 12 anos.
E agora atiram para todo lado para guardar dinheiro em caixa, visando a reeleição. O objetivo não é cuidar do povo de Juazeiro, é cuidar dos próprios interesses. Sem prestar contas dos recursos enviados pelo Governo Federal contra a pandemia do Coronavirus, nem adotar ações e projetos para cuidar dos juazeirenses e evitar a expansão da contaminação comunitária.
O prefeito agora, no final de sua gestão, lança uma dispensa licitatória para contratar uma empresa para a prestação de serviços de assessoria técnica em licitações e contratações públicas. Mas porque isso agora? Um contrato de R$ 48 mil com a empresa Railson Novais Useda Pinho ME, não se sabe ainda qual o período do contrato.
Será que é tempo de contratar uma empresa de consultoria em licitações? E os cargos comissionados que o prefeito alega ter expertise na área e paga salários que já se somam aos R$ 30 milhões mensais gastos com folha de pagamento de pessoal? E os advogados que também fazem parte do Governo e são especialistas em licitações, desaprenderam fazer licitações? Qual a missão dessa empresa contratada faltando seis meses para acabar a gestão?
No apagar das luzes de uma administração fadada ao descaso com a população de Juazeiro, o prefeito tem a obrigação moral de responder a esses questionamentos e explicar a população de Juazeiro o porquê dessa dispensa licitatória, quando a Lei Eleitoral impõem limites para a execução de obras em função da proximidade das Eleições municipais 2020.
A dispensa foi publicada no Diário Oficial de Juazeiro no último dia 19 de junho e prevê a contratação da empresa, cujo nome fantasia é Dinâmica Assessoria e Consultoria Pública e Privada que tem contrato por inexigibilidade com diversas pequenas prefeituras na Bahia, ou seja, com vedação concorrência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *