JUAZEIRO POLÍTICA SAÚDE

Juazeiro: Acabou a paciência do governador Rui Costa com Paulo Bomfim?

Os últimos dias do prefeito Paulo Bomfim (PT) a frente da prefeitura de Juazeiro, parece que serão tenebrosos. Além da falta de planejamento nas ações durante todo o mandato e a ausência de uma equipe especializada nas diversas áreas, a pandemia do covid veio para piorar o caos na saúde.

No início de junho, movido por uma pesquisa de interesse político, o prefeito reabriu o comércio, e foi duramente criticado pelo governador e pelo secretário de saúde, Fabio Villa-Boas, o mesmo que em 2015 veio a Juazeiro para resolver uma pendência com o hospital Promatre.

O comércio fechou em 22 de junho, e de lá para cá já morreram 34 pessoas por coronavirus e chegamos a mil casos confirmados, o que tem levado a população a questionar a transparência no uso dos recursos vindos do governo federal e a a falta de ações sanitárias eficientes.

Parecendo está em cima de um palanque, o prefeito de Juazeiro, Paulo Bomfim, tem feito muitas promessas de melhorias para a saúde, recentemente disse que a UPA teria mais 30 leitos, mas os pacientes continuam sendo transferidos para outras unidades e estão denunciando a falta de condições da UPA de Juazeiro.

No sábado (04) foi feito o lançamento da candidatura a reeleição de Paulo Bomfim, houve manifestação de apoio de varias lideranças petistas nacional e estadual.

Mas nesta terça-feira (07) o prefeito foi a imprensa manifestar “profunda indignação com o tratamento que a cidade de Juazeiro vem recebendo por parte do secretário de Saúde do Estado da Bahia, Fábio Villas Boas. Segundo o chefe do executivo municipal, a SESAB vem deixando de cumprir compromissos assumidos pessoalmente pelo governador Rui Costa”.

Segundo o prefeito, “No momento em que resolvemos transformar a UPA em unidade de referência para o coronavírus, o governador Rui Costa assegurou apoio financeiro à iniciativa. Investimos recursos municipais (os recursos não vieram do governo federal?) para transferir o atendimento adulto para a Promatre e pediátrico para o Hospital São Lucas.

Segundo fontes ouvidas, o prefeito foi solicitar recursos para ampliação da UPA, o secretário teria perguntado sobre os mais de 20 milhões recebidos do governo federal, e que se fosse para investir na UPA, investiria no Regional, que é do Estado.

Na sua indignação com o governador Rui Costa, o prefeito esquece de mencionar os recursos e apoios que tem recebido do governo federal, ou se omite para não declarar que um imaginário inimigo está ajudando?

Assim como os secretários municipais obedecem ao prefeito, os secretários estaduais obedecem ao governador, nesse caso a indignação de Paulo Bomfim deve ser direcionada ao governador Rui Costa, e não ao secretário de saúde Fabio Villas-Boas.

O governador Rui Costa que recentemente visitou Juazeiro, e não participou do Encontro de lançamento da candidatura de Paulo Bomfim, parece que a visita não foi para “vistoriar obras”, mas para dizer algo que Paulo Bomfim e Isaac Carvalho precisavam ouvir: “tudo tem limites, e o meu limite com vocês acabou”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *