JUAZEIRO POLÍTICA SOCIAL

Opinião: Quem é Bruno Bitencourt que os conservadores de esquerda de Juazeiro perseguem?

O jovem Bruno Bitencourt representa a cara da geração Z ou Centenial, com idades entre 8 e 23 anos, também conhecidos como centenials, por terem vindo ao mundo em plena mudança de século — os mais velhos são do ano de 1995 e os mais novos nasceram em 2010, chegaram com um tablet e um smartphone debaixo do braço.

Bruno é um digital influencer, sendo um dos mais famosos na região, com mais de 50 mil seguidores nas redes sociais, com capacidade de influenciar, ditar tendências, comportamentos e opiniões. Nos seus diversos vídeos publicados nas redes sociais, Bruno peca por ser irreverente, por extrapolar energia da juventude, com espontaneidade e humor fora do comum.

Em um dos seus posts Bruno se vestiu de Anitta, e arrasou, vários seguidores foram a loucura com tanta irreverência. Logo ele que foge do padrão dos jovens da sua idade. Nada de corpo sarado após longas horas de academia e ingestão de suplementos, muito pelo contrário, estar com sobrepeso, cara redonda e buxo saliente. Como pode se vestir de Anitta, uma musa pela alta definição do corpo espetacular?

Mas Bruno foi a vítima mais recente da milícia virtual e de fakes compartilhados em grupos de mensagens ligados alguns partidos de esquerda em Juazeiro, aqueles que gritam a igualdade de direitos e o respeito a diversidade, principalmente aos grupos LGBTQI+. O ataque a Bruno, foi logo após ele ter feito um vídeo bem-humorado, brincando com a ciclovia com os postes no meio numa avenida que dá acesso ao bairro Pedra do Lord.

Parece paradoxal, e é; trata-se de uma adesão de alguns partidos de esquerda aos itens da pauta conservadora nos costumes e nas práticas. Tudo pela manutenção do poder, o que eles desejam é continuar com os discursos que empolgam a militância e os desavisados sobre qual é a real intenção deles.

Muitos se declaram e esbravejam serem feministas e que respeitam a diversidade, mas são incapazes de se pronunciarem contra esses atos fascistas e antidemocráticos, por uma simples razão: falta-lhes coragem e ética para defenderem as suas pautas discursais.

Bruno é filho de Eliene Bitencourt, que também foi vítima da milícia virtual e fakeana. Eliene foi rainha do carnaval de Juazeiro, aos 47 anos, quebrando todos os tabus.

Bruno e Eliene, costumam receber na sua casa muitas pessoas, de todas as classes sociais: pretos, pobres, gays, e juntas se confraternizam com muitas irreverências e humor. Nessas confraternizações eles costumam postar as fotos com os amigos nas redes sociais, uma dessas fotos foi utilizada preconceituosamente. Num ataque homofóbico, um grupo de amigos, todos gays, foram duramente atacados, inclusive um deles apresentou quadro de depressão após a virilização da foto numa montagem para atacar Bruno e Eliene Bitencourt.

O Coletivos de defesa dos direitos das minorias com os seus ditos representantes, se calaram, ficaram mudos pela conveniência que lhes peculiar. Nenhuma nota e nenhum discurso do fora o fascismo, o patriarcado, o machismo, a hipocrisia, a homofobia e etc.

Bruno deve ter herdado da mãe a espontaneidade, o caráter, a humanidade, a firmeza e a franqueza em dizer o que pensa, sem arrodeios políticos.

A caminhada ainda estar nos primeiros passos, mas Bruno é uma promessa de renovação que Juazeiro tanto precisa.

Thiago Ribeiro Nunes
Estudante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *