JUAZEIRO POLÍTICA

Juazeiro: As obras inacabadas de Paulo Bomfim

O prefeito Paulo Bomfim (PT) que gosta de ostentar números de obras realizadas na sua propaganda oficial ou no guia eleitoral, vai terminar a gestão com algumas que iniciou e outras ainda do seu antecessor, Isaac Carvalho, sem concluir.

Foi ainda na gestão de Isaac Carvalho que começou a obra do canal da Malhada da Areia, que corta o bairro Alto da Aliança. A obra de cobertura do canal (contrariando o Plano de Saneamento Básico) tem recursos do governo Federal. Quem souber morre como eles fazem a contabilidade e a prestação de contas desses recursos.

O Parque da Cidade, orçada em 4 milhões, obra mais parece uma praça ampliada. Ao contrário do Parque Josefa Coelho, em Petrolina, que tem área de 750 mil quadrados, o Parque da Cidade tem área de 42 mil quadrados. Com localização questionada, o Parque nasceu pequeno, não existe possibilidade no futuro de se ampliar a área. De um lado tem as residencias do bairro Alto da Aliança, do outro lado tem o canal Malhada da Areia. Portanto, não cresce ou não se amplia.

A comunidade do Piranga II sonhava com uma praça, uma área de lazer para as crianças. A Associação de Moradores permutou uma área com a prefeitura. O prefeito começou a obra e parou. Vieram as chuvas, o que seria um sonho virou pesadelo. As chuvas além de destruírem parte do que tinha sido construído, às águas invadiram algumas residencias causando transtornos aos moradores.

A Estação do Saber no bairro de Piranga, orçada em quase 3 milhões, é uma obra que representa o cumulo da aberração político-administrativo. Uma obra importante, porque requalifica um patrimônio degradado e abandonado. Mas imoral quando se fala no custo para reformar um prédio.

Infelizmente como muitas obras realizada em Juazeiro, nos últimos anos, a Estação do Saber não levou em conta a necessidade da população, a história, a memória, a cultura. Foi feita no fazer por fazer.

O prefeito no seu guia eleitoral está prometendo construiu na Estação do Saber uma concha acústica, nem terminou a obra já está prometendo ampliar.

A ordem de serviço para o início das obras do Parque Fluvial de Juazeiro (BA) foi assinada pelo prefeito Paulo Bomfim no dia 18 de outubro de 2017, as obras tiveram início em 1 de novembro do mesmo ano. Os recursos, no valor de R$ 3,5 milhões, foram destinados à urbanização e requalificação da Orla e revitalização do Rio São Francisco, no trecho compreendido entre a Marinha e o Bairro Angary.

O tempo estimado para a conclusão era de aproximadamente um ano, passado quatro anos a obra ainda não foi concluída. Segundo informações, a prefeitura teria que devolver cerca de R$ 1.700,000,00 (um milhão e setecentos mil reais) para a Caixa Econômica.

Os motivos para a devolução dos recursos seriam a não conclusão da obra no prazo, execução errada de alguns equipamentos e a ausência de equipamentos que constam no projeto original, como quiosques e a padronização das barracas que ficavam próximas à Marinha.

Essas são algumas obras inacabadas da gestão Paulo Bomfim, existem muito mais espalhadas pela cidade, causando muitos transtornos e aborrecimentos na população.

One Reply to “Juazeiro: As obras inacabadas de Paulo Bomfim

Deixe um comentário