JUAZEIRO POLÍTICA SOCIAL

Após 12 anos de opressão, Juazeiro poderá voltar a ser Juazeiro

Não foi o resultado da eleição que nos trouxe o ânimo que Juazeiro poderá voltar a ser Juazeiro, mas a imagem singela de uma senhora de aproximadamente 70 anos pulando da pilastra na Orla Nova em direção as águas do velho Chico.

A imagem traz a irreverência, a magia que todos tínhamos quando o rio enchia, pulávamos de todos os cantos para sentir a cheia do rio. Água nova correndo no leito do velho Chico, trazendo esperança. A quanto tempo não sentimos isso?

Foram longos 12 anos de muita opressão, mentiras e manipulação. Isaac Carvalho em 2008 apareceu como a grande oportunidade de mudança que a cidade tanto desejava.

Naquele ano o PCdoB lançou uma Carta intitulada “Dê uma chance a Juazeiro para a retomada de seu desenvolvimento”. A escrita da Carta dava um tom nostálgico e comparativo com a cidade vizinha de Petrolina/PE.

Nas eleições de 2008 o PCdoB se aliou com o PSDB, o partido que hoje eles chamam da fascista, ou da prefeita fascista. Ganharam as eleições, mas a mudança na aconteceu da forma que o povo esperava. Juazeiro ficou pior do que antes, em várias áreas.

Como em qualquer ditadura, as primeiras ações é destruir a cultura do povo, as suas tradições e ritos. E assim esquecemos os congos, o maestro Gó Véi jaz abandonado no canto de uma casa simples. O samba de Véio de Rodeadouro ainda resisti porque Dona Olvida é uma mulher negra atrevida. Os penitentes com os seus longos cordões, se resumem ao andar de cinco pessoas, com Dona Nenezinha puxando a todos com a sua fé.

E o carnaval no esquema do Samuel? E os grande festivais? Ou aos tacanhos e medíocres eventos culturais organizados sem o mínimo pudor e respeito aos artistas da terra? E, viva a cidade da Bossa Nova!

“Até mesmo suas atividades culturais e a alegria de seu povo estão prestes a sucumbir. Aqui não há mais barzinhos para se ouvir boa música, a orla não existe mais como espaço vivo e contagia da cidade, não temos mais o cinema, etc. (…)”, trecho da Carta do PCdoB de 2008.

Na educação criaram o mito da cidade do melhor IDEB. Mentiras e manipulações. IDEB é uma farsa, e a muito tempo deixou de ser uma referência de qualidade em educação. Lembrando que, Juazeiro tem mais de 230 mil habitantes e concorre no IDEB com os municípios baianos com até 100 mil habitantes.

Acabaram com o cursinho pré-vestibular que funcionava no colégio Paulo VI, agora os alunos contemplados estudam num cursinho particular. Mesmo assim não há um bom índice de aprovação. Porque a base nas séries iniciais e finais não foram boas, justamente onde eles afirmam que o IDEB é o melhor.

A população está ansiosa para acordar desse pesadelo, não querendo voltar ao passado, antes de 2009, mas acordar com uma nova Juazeiro, mais próspera, mais humana, mais igualitária, mais a cara do seu povo.

Uma senhora que pulou da pilastra, outra mulher eleita prefeita, resta-nos acreditar que voltaremos a ser Juazeiro.

One Reply to “Após 12 anos de opressão, Juazeiro poderá voltar a ser Juazeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *