JUAZEIRO

Juazeiro: Vereador é suspeito de comandar milícia virtual para atacar opositores e blogs com fake news

Após alguns meses de investigação, um advogado de Juazeiro, que foi vítima de ataques nas redes sociais, está protocolando na justiça uma queixa-crime contra um vereador de oposição e um grupo de pessoas que utilizaram do anonimato para denegrir e atacar autoridades municipais, blogs e servidores públicos.

“Nós temos em Juazeiro hoje uma milícia organizada nas redes sociais, e nós temos que compreender a quem essa milícia serve a um determinado grupo político”, disse o advogado que prefere manter o sigilo da sua identidade. “Ela obviamente é articulada, ela tem investimento, utiliza robôs, e ela persegue opiniões que ela não concorda. Isso não é bom para o debate público, isso busca prejudicar a imagem das pessoas, da prefeita e de servidores”, afirmou o advogado.

O blog teve acesso a farta documentação que compõe a peça denunciatória, é perceptível que o modos operandis do grupo era sempre o mesmo, quando um membro da milícia compartilha nas redes sociais alguma acusação ou suposta denúncia, os demais se encarregavam de estimular o debate, fomentando em outras pessoas um posicionamento negativo sobre a postagem.

Segundo o advogado, um vereador de oposição comanda diretamente as ações, financia e compartilha os fakes news contra os opositores, alguns blogs e apoiadores da prefeita Suzana Ramos (PSDB).

Ainda segundo o advogado, não se trata de um grupo de “malucos”. Há sim, uma organização por trás disso, que ataca inclusive a imprensa. São acusações covardes de pessoas que se escondem por trás de um computador, do aplicativo de whatsapp,  e terminam cometendo crimes,  com o objetivo derrubar funcionários, destruir reputações e promover linchamentos virtuais.

O “Gabinete do ódio” de Juazeiro é formado por empresários, políticos, profissionais autônomos, servidores públicos. As ações do grupo são reflexos do resultado das últimas eleições municipais.

Todo material vai ser também encaminhado para o Ministério Público Estadual.

 

Deixe um comentário