BAHIA JUAZEIRO São João

São João 2022: Saiba como evitar acidentes com fogos de artifícios

O mês de junho no nordeste é marcado por festejos em comemoração aos santos católicos, atrelado aos festejos, está à tradição das fogueiras e fogos de artifício, o que aumentam significativamente as ocorrências por queimaduras nos hospitais.

Segundo o Ministério da Saúde, entre janeiro e abril deste ano, já foram registrados 3.540 procedimentos hospitalares e 32.631 atendimentos ambulatoriais por causa de queimaduras no Brasil. A prevalência é de queimaduras de segundo grau, com destaque para as lesões dos membros superiores (mãos e braços), tronco e cabeça.

Ainda de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 180 mil pessoas morrem por ano em consequência de queimaduras, sendo a quinta causa mais comum de lesões não fatais na infância.   A atenção deve ser especial em ambientes em que podem ser frequentes as queimaduras por líquidos quentes, chamas de fogueira e fogos de artifício.

Pensando nos dados alarmantes de incidentes neste primeiro trimestre, o MP divulgou algumas recomendações e cuidados como forma de diminuir casos de queimaduras durante os festejos:

 O paciente deve colocar, de imediato, a parte queimada debaixo da água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos. Compressas úmidas e frias também são indicadas;

É importante nunca tocar a queimadura com as mãos; nem furar bolhas;

 Não se pode colocar manteiga, pó de café, creme dental ou qualquer outra substância sobre a queimadura.

Respeitar a classificação de fogos: tipo A livre, tipo B acima de 16 anos, tipo C a partir de 18 anos. O tipo D só pode ser manejado por profissionais especializados;

Comprar fogos em lojas autorizadas e observar se consta o selo do Inmetro;

Nunca carregar bombinha no bolso;

Ficar distante cerca de 30 a 50 metros de locais de queima de fogos.

Prevenção

Evitar brincadeiras perto de fogueiras para prevenir queimaduras por chamas e problemas nas vias aéreas, por inalação de fumaça e ter cuidado ao usar produtos inflamáveis, como o álcool 70% (na forma líquida ou em gel), além de manter longe do alcance das crianças.

O Brasil tem, ao todo, 48 estabelecimentos habilitados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) como centros de referência na assistência a queimados, além da oferta de procedimentos, medicamentos, órteses, próteses, materiais especiais e exames necessários para atender às vítimas. A região do Vale do São Francisco tem como referência no assunto, o Hospital Universitário, que faz atendimento a toda área do Vale e cidades circunvizinhas.

Da Redação Blog Opará/ Com informações do MS