JUAZEIRO SAÚDE

Juazeiro: Sem testes rápidos, sem leitos e sem ajuda aos trabalhadores informais

Estamos ouvindo o tempo todo a mesma ladainha do prefeito Paulo Bomfim (PT) e de pessoas ligadas ao Paço: “Juazeiro foi o primeiro município na região a tomar medidas preventivas contra o coronavírus”, passado quarenta dias, efetivamente as únicas coisas feitas foram: o fechamento do comércio, das escolas e das feiras livres.

No mais, o prefeito parece que não tomou consciência da gravidade da situação, Juazeiro é município Polo para 53 cidades da Rede PEBA, ou seja, todos os casos graves desses municípios vêm para Juazeiro.

O prefeito disse que já investiu cerca de 4 milhões da receita do município no enfrentamento, mas recentemente os profissionais de saúde realizaram paralisação por falta de EPIS, não temos testes rápidos, importantíssimos para a prevenção e controle do coronavírus.

É comum ouvir uma história fantasiosa e descabida de transformar a UPA em unidade exclusiva para os casos de coronavírus. Com certeza, estão de brincadeira com população. Todos sabem as condições de atendimento da UPA, imagina com as demandas vindas dos 53 municípios?

Outro delírio mentiroso, é que a UNACON (Unidade de Alta Complexidade em Oncologia) para tratamento de pessoas com câncer estará disponível com 400 leitos. Mentira. A unidade não está pronta e não tem plenas condições nesse momento de atender.

Juazeiro é uma das únicas cidades em que o executivo não cortou despesas com pessoal e salários em razão da pandemia. O município tem receita de quase 530 milhões de reais, e o salário do prefeito é de 25 mil reais.

Com o fechamento do comércio, toda uma cadeia é atingida. Os ambulantes que vivem em torno das atividades do comércio, os trabalhadores informais que ganham o sustento da família com a vendas de pequenos produtos e lanches, assim como os motos-taxistas.

Os feirantes estão passando por momentos terríveis e sem assistência alguma, muitos estão desesperados, com o novo decreto desta segunda-feira (20) todos foram pegos de surpresa com o novo fechamento das feiras.

O governo municipal recebeu quase 5 milhões, e a dúvida é: aonde serão aplicados esses recursos? As últimas informações é que o vírus está sendo controlado, e países como Bélgica e Itália já estão abrindo o comércio.

Na Bahia, a cidade de Feira de Santana, uma das mais atingidas depois de Salvador, já autorizou a abertura do comércio com restrições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *