Sem categoria

JUSTIÇA DETERMINA REFORMAS EM HOSPITAIS PÚBLICOS DE JUAZEIRO

A cada dia agrava-se a situação do prefeito Paulo Bomfim (PCdoB), horas depois de conceder uma entrevista ao jornalista Mário Kertész, da Rádio Metrópole, em Salvador, o prefeito foi surpreendido com uma decisão já muito tempo esperada pela população: a maternidade e o hospital da Criança precisam fazer reforma para atender bem a comunidade.

O mais triste é que durante a entrevista o prefeito disse que a saúde vai bem e que o seu grupo pegou uma saúde em situação pior em Juazeiro, mas ele tem se empenhado para melhorá-la a cada dia.

A REALIDADE

A promotora de Justiça Rita de Cássia Rodrigues moveu uma Ação civil pública ajuizada na sexta-feira, dia 14, pelo Ministério Público estadual para que a Justiça determine, de forma liminar, ao Município de Juazeiro a realização de imediatas reformas, adaptações e aquisição de equipamentos exigidos pela Vigilância Sanitária para sanar as irregularidades identificadas no Hospital Materno-Infantil municipal. Segundo a ação, a unidade hospitalar ainda não possui alvará sanitário.

No documento, a promotora explica que, embora medidas tenham sido adotadas para melhorar as condições do hospital, a unidade possui setores “que continuam apresentando problemas sérios e estruturais, notadamente a Lavanderia e o Centro de Material de Esterilização (CME)”. Conforme a ação, a Vigilância Sanitária emitiu parecer favorável à interdição dos dois setores, devido aos riscos de infecção.

Rita de Cássia afirma que a interdição de todo o hospital somente não foi recomendada em razão da importância da unidade para o atendimento da região como um todo – ela sofre com superlotação e 44% dos partos realizados lá são de pacientes oriundos de cidades vizinhas. “Apesar do objeto da interdição se limitar à lavanderia e ao CME, lembramos a impossibilidade técnica e prática de um nosocômio funcionar sem tais serviços, considerado o risco de infecções para todos que frequentam o local, além da própria vizinhança do hospital”, disse a promotora.

ASCOM MPE/BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *