JUAZEIRO PETROLINA SAÚDE

Funcionários do HU denunciam o descaso, “muitos estão sendo infectados com o covid”

Em carta enviada a nossa redação, um funcionário do Hospital de Traumas, denuncia o descaso da direção do hospital no cuidado com os funcionários.

Confira:

No mês de abril as escalas assistenciais do Hospital Universitário ligado à Universidade do Vale do São Francisco foram modificadas com base no valor de recebimento da insalubridade. O profissional que recebesse insalubridade em grau máximo seria relocado para área da triagem e no tratamento direto aos pacientes com COVID-19,  conforme Ofício-Circular – SEI nº 2/2020/GAS/HU-UNIVASF-EBSERH – vide em anexo. (https://sei.ebserh.gov.br/sei/controlador.php?acao=arvore_visualizar&acao_origem=procedimento_visualizar&id_procedimento=14811370&infra_sistema=100000100&infra_unidade_atual=110000620&infra_hash=e34fa414a3189fe8ab9b1e1b3ba57697909643e9f0fa4f5f4f2553dc73a361ae).

Não contemplando a totalidade dos profissionais que atuam na urgência nas salas azul, amarela e verde. Dado não oficial foram 05 (cinco) infectados na sala amarela e 02 dois profissionais na sala verde, e nestes setores os profissionais relocados não recebem insalubridade em grau máximo.

O que tem se observado é que os pacientes que chegam ao hospital por demanda espontânea ou regulados, além dos problemas de saúde relacionados ao perfil do atendimento do hospital, apresentam sintomas respiratórios, o que levaria a contaminação dos profissionais, principalmente da urgência, que é a porta de entrada do hospital, além de outros pacientes e acompanhantes.

Este relato tem acontecido rotineiramente, prova disto é que dos seis (06) pacientes internados na UTI COVID no dia 30/05/2020, cinco (05) vieram oriundo dos setores do hospital e deram entrada por outras morbidades.

Outro fato é que os profissionais de saúde não têm sido testados para COVID-19. Quando ocorre um sintomático, o Serviço de Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (SOST) realiza a testagem por meio de Swab doado pela Prefeitura de Petrolina. O problema se refere aos assintomáticos. Recentemente, uma profissional que também é de outro serviço, testou positivo, não apresentando qualquer sintoma e os outros profissionais, pacientes e acompanhantes que tiveram contato com ela não foram testados.

Tem sido preocupante notícias vinculadas pela imprensa como a de que uma paciente permaneceu internada por 15 (quinze) dias por fratura de fêmur e ao ter recebido alta foi a óbito por COVID-19 em casa, além de duas acompanhantes da referida paciente positivarem para COVID-19 ((https://g1.globo.com/pe/petrolina-regiao/noticia/2020/05/19/idosa-de-71-anos-e-a-sexta-vitima-do-novo-coronavirus-em-petrolina.ghtml).

No setor que a paciente se encontrava, vários profissionais foram afastados por apresentarem sintomas. Bem como notícias já denunciadas e veiculadas também de dois pacientes internados por traumatismo vieram a óbito por COVID-19 na UTI- COVID. (http://pretonobranco.org/2020/05/25/entra-no-hospital-com-outro-problema-e-se-contamina-com-o-coronavirus-hu-responde-indagacao-de-leitores-do-pnb/).

A notícia veicula que 13 profissionais afastados, mas em levantamento não oficial, existe um número maior de profissionais afastados.

Diante do exposto, alguns pontos podem ser levantados:

  1. Falta de testagem dos profissionais do Hospital Universitário UNIVASF;
  2. Possibilidade de pacientes terem sido infectados dentro do hospital por falta de testagem;
  3. Assintomáticos com exame positivo, acelerando a cadeia de transmissão do vírus na unidade hospitalar;
  4. Número crescente de profissionais afastados;
  5. Profissionais na linha de frente sem recebimento de insalubridade grau máximo, como os profissionais das salas verde e amarela da urgência do hospital.
  6. Falta de transparência em relação ao número de infectados no HU – UNIVASF

Desta forma, denuncio a falta de testes na unidade hospitalar e o não pagamento da insalubridade em grau máximo de profissionais em contato com pacientes com COVID-19.

Não conseguimos contato com a direção do Hospital.

Fonte: BVF

One Reply to “Funcionários do HU denunciam o descaso, “muitos estão sendo infectados com o covid”

  1. Muito mais descaso é com os funcionários da prefeitura de,Petrolina que estão lotados no HU e estão escalados em diversos sectores do hospital,inclisive na emergênca(sala azul) recebendo apenas um mísero de um salário mínimo. Estamos a mercé da sorte,pois os órgãos que nos representam não aparecem,não dão à
    minima importáncia. Queremos justiça,pois somos obrigados a desenvolver o mesmo trabalho que os demais funcionários com salário base de(3200 mais vantagens).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *